Untitled Document

 


Forças Armadas guineenses participam Exercício Felino 2017

As Forças Armadas da Guiné-Bissau que fazem parte do contexto das nações, participaram de 18 - 29 de Setembro último no Brasil, os treinos militares da Comunidade dos países Língua Portuguesa (CPLP) denominado Exercício Felino 2017.

Os Exercícios de serie Felino que são planejados para um ciclo adestramento de dois anos têm como finalidade preparar uma Força Tarefa Conjunta Combinada (FTCC), no quadro da CPLP para atingir, manter e também aperfeiçoar a capacidade de intervenção em missão de apoio à paz e de ajuda humanitária aos níveis operacionais e tácticos. Para além disso, os exercícios visam igualmente realizar treinamentos para a organização, o planejamento e o comando e controlo de operações sob a égide de Nações Unidas em resposta às possíveis situações de crise que surgirem e forem incumbidas à CPLP.

A componente guineenses de oito militares que tinham sido integrados nas diferentes células criadas para o cumprimento das tarefas e chefiada pelo Chefe-Adjunto da Divisão de Operações e Treino do Estado Maior General, Tenente-coronel José António Sanca deram uma contribuição positiva ao longo das actividades agendadas. Esse sucesso deveu-se a sua larga experiência profissional e dedicação que têm sempre caracterizado a nossa tropa.

O Exercício Felino 2017 que decorreu na Academia Militar Agulhas Negras que fica situada na vila de Resende, no nordeste do Estado de Rio de Janeiro envolveu 55 oficiais dos Estado membros da CPLP e 1460 homens de força de paz, fornecidos pelo Exército brasileiro.

No diz respeito a acomodação, as delegações dos países participantes que deixaram a cidade do Rio de Janeiro no dia 17 de Setembro para Resende, local onde decorreu o exercício foram alojadas no Hotel Resende INN, situado à alguns minutos de percurso da Academia Militar Agulhas Negras.

A cerimónia da abertura do Exercício Felino 2017 que teve lugar nas instalações daquela Academia, foi presidida pelo General Costa Neves, Comandante da AMAN, na presença do Director do Exercício, General Leite. Após os dicursos seguiram-se os desfiles militares dos cadetes, visita ao Museu da mesma e outras actividades agendadas.

Na primeira semana, as actividades foram dominadas pelo processo de ambientação da situação do exercício (eventos e incidentes), pelas apresentações geo-historicas dos países pelos respectivos chefes de delegações.

Em conformidade com as regras de trabalho, os oficiais da Guiné-Bissau assim como os dos outros Estado membros da Comunidade, foram integrados nas diferentes Células de Operações que compõem os grupos de DIREX e FTCC. Assim, a Guiné-Bissau tinha cinco (5) oficiais na DIREX e três (3) na FTCC.

Os oficiais guineenses chefiados pelo Vice-Chefe da Divisão de Operação e Treino, Tenente-coronel José António Sanca regressou, ao país na primeira semana de Outubro e foram recebidos pelo Chefe do Estado Maior General.

Maj. Ussumane Conaté

farp, 10 de Outubro 2017.