Untitled Document

 


Combatentes comemoram o Dia da Liberdade

De salientar que a atividade também contou com a entrega duma bandeira branca pelo Projeto Fórum de Paz “ONG Grupo de Teatro dos Oprimidos” ao Vice-Chefe de Estado-Maior General, Mamadú Turé (N´Krumah) em gesto de reconhecimento e agradecimento pela estabilidade e paz concedida ao povo guineense.

O Tenente General Mamadu Ture (Kurmanh) usufruiu do instante para explicar que o dia 23 de Janeiro é um dia da alegria e uma data histórica que é muito importante para todos os Combatentes de Liberdade da Pátria, visto ser o dia que começou a ataque aos inimigos no Aquartelamento de Tite. Ainda, aproveitou para aconselhar os soldados e demais Oficiais das Forças Armadas (FA) para se manterem equidistantes dos políticos principalmente neste processo as eleições legislativas marcadas para dia 10 de Março próximo.

Semelhantemente, o Tenente General não deixou de elogiar as Forças Armadas Revolucionarias do Povo pelo privilégio e confiança conquistados nos últimos anos junto da Comunidade Internacional graças as suas garantia da paz, sossego e tranquilidade – afirma o Tenente General.

A oportunidade serviu para o Brigadeiro General Albertinho António Cuma, Chefe da Divisão Central da Educação Cívica, Moral e Patriótica do EMGFA afirmar que esta data é muito importante para os Combatentes da Liberdade da Pátria e representa um grande valor para a comunidade guineense e para a comunidade internacional na medida em que marcou uma data decisiva na Luta pela Libertação do povo oprimido durante mais de 528 anos do regime fascista. Segundo ele, esta é uma data que marcou o arranque da reorganização combativa para fazer face as tropas coloniais, uma vez esgotadas todas as tentativas de alcançar uma solução pacífica da Independência dos Povos da Guiné e Cabo Verde.

Identicamente, recomendou aos novos jovens militares a seguirem o exemplo dos Combatentes de Liberdade da Pátria na consolidação do espírito patriótico, zelar pela tranquilidade e respeitar as leis militares e da Constituição da Republica, sendo estas umas das recomendações de Amílcar Lopes Cabral. O Brigadeiro General, lamentou a falta de reforma nas FA e garantiu por outro lado que dai para frente não haverá mais interferências dos militares nos assuntos políticos.

No uso da palavra, o antigo combatente, Major Infamara Dabo disse que esta data simboliza uma marca histórica para todos os guineenses. Lamentou a perda dos camaradas e colegas de barracas e de frentes durante a Luta tombaram e pela forma como eles não sejam reconhecidos hoje pois discriminados e isolados pelos sucessivos governantes do país.

O momento, também serviu para a soldada Cármen Serafim M’bana, participante na palestra manifestar sua emoção pelo ouviu durante a referida palestra, que marcou as comemorações desta data histórica, não só para os combatentes da liberdade da pátria, assim para todos os guineenses.

Recomendou os novos jovens soldados a dedicarem-se nas tarefas que lhes fossem incumbidas e cumprir com rigor o Regulamento Disciplinar Militar (RDM) e demais leis consagradas na Constituição da Republica.

Soldado Jamir Otelo da Silva

Farp, 04 de Fevereiro de 2019

 

info@farp.gw
Webmail