Untitled Document

 


Cooperação Militar Portuguesa realiza estágio sobre normas protocolares

Durante os quatro dias de formação foram abordados temas como os da correspondência oficial, visitas de altas entidades e protocolo auto, a bandeira nacional, atos de correspondência militar, organização de tribunas militarmente.

No ato de encerramento do referido estagio, o Vice-Chefe da Divisão do Pessoal e Quadros do Estado-Maior General, Coronel Seidja Anibal Costa, em representação do seu superior, Brigadeiro-general Julio Sulté Nhaté aproveitou, a ocasião para em nome do Estado-Maior General das Forças Armadas, agradecer Coronel Jorge Manuel Sequeira Iglésias e a Cooperação Portuguesa pela realização do estagio baseado na óptica e missão dum protocolo militar.

Segundo o Coronel Seidja, este é uma formação que irá dotar os oficiais militares do serviço protocolar com ferramentas que poderão utilizar no desempenho das suas funções. Nesta óptica de ideia, o Coronel mostrou a grande importância do serviço protocolar considerado uma imagem e espelho das forças armadas assim como para quaisquer instituições públicas, facto que ao longo das décadas tem dificultado alguns trabalhos. Por esta razão, exortou aos beneficiários da formação no sentido de transmissão os conhecimentos adquiridos aos restantes camaradas castrenses.

Por su lado, o Coronel Jorge Manuel Sequeira Iglésias Conselheiro da Cooperação Técnica Militar Portuguesa no país, disse que o objectivo da formação insere-se em dotar os quadros militares da área do protocolo, de comunicação social e das relações públicas com ferramentas de trabalho de forma a habilita-los para melhor desempenhar as suas funções.

Ainda, o Coronel Sequeira Iglésias mostrou-se esperançoso numa mudança nos serviços protocolares das forças armadas guineenses, contudo, disse que estas mudanças serão paulatinas e requer mais formações do género baseadas em conhecimentos específicos das normas protocolares universais, tomando em conta que um militar bem formado é um cidadão capacitado para as mudanças positivas do país.

O Adjunto Chefe do Gabinete de protocolo do Estado-Maior General das Forças Armadas, Capitão Domingos Abdulai Mancal afirmou que a formação trouxe um grande benefício não só para o Gabinete protocolar mas assim como para os diferentes serviços sociais militares. Nesta base, o capitão apelou às chefias militares no sentido de permitir a realização de mais formações do género, o que irá, colmatar as dificuldades nos procedimentos protocolares.

Garantiu igualmente que tais conhecimentos serão expandidos a todas as unidades militares como forma de demonstrar que a formação não foi vã. Também não deixou de endereçar agradecimentos a Cooperação Técnica Militar Portuguesa pelos trabalhos exemplares efectuados.

Quanto o Capitão do regimento dos Para-Comandos, Costa Sanha que falou em nome dos participantes na formação; esclareceu que os conhecimentos adquiridos irão permitir melhorar os serviços protocolares militares e corrigir os erros no exercício Profissional dos oficiais deste sector tão importante para o espelhamento das forças armadas tanto a nível interno como externo, demonstrando assim a capacidade dos nossos quadros.

Jornalista Ademir Lopes Correia

farp, 15 de Agosto de 2018

 

info@farp.gw
Webmail