Untitled Document

 


Formação Forças Armadas no cumprimento dos desígnios do Chefe de Estado-Maior General

De recordar, que a referida Escola foi criada em 2 de Agosto de 2016 pelo General Biaguê Na N´tan e serve para a Formação dos militares em línguas estrangeiras e informática. Para alem dos militares a mesma forma também civis interessados nestes domínios.

A ocasião serviu para o Brigadeiro General Júlio Nhaté Sulté, Chefe da Divisão dos Recursos Humanos, dizer que este ato desfruta é da tamanha importância, na medida em que serve para demostrar mais uma ação real de concretização dos desígnios do CEMGFA referente a formação e capacitação dos quadros militares em diversas áreas. Isso, obviamente impulsionou, segundo as suas palavras, a criação de semi-internatos em algumas unidades militares com os mesmos objectivos.

Ainda, o General aproveitou para sublinhar que a atual hierarquia das FARP está mais virada ao regime laico, o que permite maior interligação com a sociedade civil em todos os domínios, oferecendo assim a qualquer civil interessado estudar numa destas escolas militares fazê-lo sem qualquer receio ou pressentimento. Esse fator demostra uma clara viragem das paginas da historia das FARP, centralizada na “Capacitação Académica” como o principal pressuposto aos cargos e funções dentro das FARP tendo em conta os novos desafios no sector da Defesa Nacional.

Por seu turno, o Coronel Watna Cia, Diretor da Escola, disse que ela foi criada pela iniciativa do CEMGFA após ter chegado a uma conclusão de que é imperativa e necessário a superação dos militares, sobretudo os mais jovens, nos domínios de línguas e da informática.

O Coronel sublinhou que os certificados foram atribuídos apenas aos finalistas do curso intensivo da informática. Lamentou a desistência de alguns alunos por razões imperativas ou alheias as suas vontades. Recordou que a Escola matriculou 784 alunos para os cursos da línguas Portuguesa, Francesa e Inglesa, e de informática.

Em nome dos recém formados, Gilberto Sifna Tambá afirmou que este curso serve do motivo duma grande alegria para os formados, na medida que lhes permitiu adquirir formações a custo zero. Segundo o recém-formado, este gesto merece um profundo agradecimento ao EMGFA porque lhes permitiu alcançar novos conhecimentos para fazer face a um mundo informatizado o que supera claramente as suas fraquezas ao longo do passado e disse estar preparado mais de que nunca para operar como um informático no domínio do utilizador.

Farp, 23 de Janeiro de 2019

Jornalista Ademir Lopes Correia

 

info@farp.gw
Webmail