Untitled Document

 


Brasil acolheu XXª Reunião Ordinária de Chefes de Estado-Maior General

O encontro organizado anualmente de forma rotativa entre os Estados membros da Comunidade permitiu as autoridades máximas da hierarquia militar examinar minuciosamente as questões nacionais e internacionais de defesa e segurança, assim como também perspectivar novas horizontes.

As questões de actualidade de segurança, a situação das mudanças climáticas tinham igualmente merecido a atenção de Chefias que obram pelo bem-estar dos cidadãos, pela paz e estabilidade.

Durante a XXª Reunião Ordinária, os Chefes abordaram entre outros pontos a situação político-militar e as questões internacionais de defesa e segurança, situação de Direito Internacional Humanitário, criação de eventual mecanismo de defesa em caso de catástrofes. A ocasião serviu para reflectir sobre os resultados obtidos no Exercício Felino, força no terreno realizado em 2017 no Brasil com a participação de todos os países membros.

Os exercícios Felino organizados uma vez por ano ao nível da CPLP de maneira rotativa, já tinham sido acolhidos pelos países como Portugal, Angola, Cabo Verde, Moçambique, Timor Leste e Brasil. Segundo o calendário estabelecido, o Exercício Felino - 2020 será realizado na Guiné-Bissau.

No Brasil, o Chefe de Estado-Maior General Biaguê Na N´Tan, discursando perante seus homólogos realçou a posição assumida pelas forças de defesa e segurança perante a crise politica guineense dizendo: “importa muito salientar mais uma vez como outrora foi o caso, que, apesar de a crise se alongar, as Forças Armadas mantêm-se firmemente neutras e distantes do ciclo vicioso, isto é, da política, estando determinadas a cumprir a missão que lhes são atribuídas pela Constituição da República”.

Adiantou que as mesmas se reservam ao empreendimento de esforços e mecanismos para implementação de reformas no sector de defesa priorizando os pontos como a Organização e Reestruturação, Formação e capacitação do pessoal militar, Promoção de cursos de línguas português, inglês e francês, curso de informática. Neste elenco de prioridades, o General mencionou a Produção agrícola, a Construção e Reabilitação de instalações militares, a Fiscalização marítima e a Retoma da cooperação técnico-militar com as forças armadas de alguns países.

“Para além das acções acima mencionadas, as Forças Armadas da Guiné-Bissau participaram nas sessões de planificação e na execução de exercícios Felino que se realizaram no Brasil, tendo também participado nas sessões de planificação de Exercícios de Acordo Unido 2018, que vinham decorrendo em Acra, Ghana bem como no Exercício OBAMGAME 2018, em Seicheles”.

“As Forcas Armadas da Guiné-Bissau tiveram um apoio considerável por parte das forcas armadas de alguns países da CPLP, no que respeita a formação do pessoal em diversos domínios. Neste quadro temos em Portugal, quatro (4) oficiais que frequentarem o curso de promoção ao capitão, isso para além de alguns cadetes, quatro (4) cadetes na Academia de Agulhas Negras de Brasil, quatro (4) oficiais superiores, frequentando o curso de Comando de Direcção e de Comando de Estado-Maior em Angola. Militares guineenses se encontram também em formação na Republica Popular de China, Estados Unidos de América e no Marrocos”.

O General Biaguê Na N´T na aproveitou a ocasião para, em nome das Forcas Armadas da Guiné-Bissau e em seu nome próprio para agradecer os Chefes de Estado-Maior presentes, as Forcas Armadas e aos povos dos países anteriormente designados, pelos apoios prestados.

Tenente-coronel Ussumane Conaté

farp, 02 de Maio de 2018

 

info@farp.gw