Untitled Document

 

 

 

 


FARP no IIIº Fórum de Saúde Militar da CPLP

As Forças Armadas Revolucionarias do Povo participaram no âmbito da cooperação militar su/sul o IIIº Fórum de Saúde Militar da CPLP que decorreu nas instalações do Ministério de Defesa Nacional de Portugal em Lisboa. O encontro periódico dos profissionais de saúde das FA da comunidade lusófona, contou com a participação efectiva de Angola, Brasil Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, S. Tomé e Príncipe, Timor Leste e Portugal.

Segundo o relatório do Medico Coronel António Biagué que representou a Guiné-Bissau e que tivemos acesso, a cerimónia de abertura foi seguida pela análise das conclusões e recomendações do XVII Encontro de Saúde Militar da CPLP, realizado em Luanda de 13 a 15 de Outubro de 2015. A delegação angolana apresentou na ocasião as conclusões e recomendações dai resultantes assim como o plano de acção da presidência angolana para a Saúde Militar da CPLP no biénio 2016-2017. 

Foram igualmente analisados alguns pontos críticos relativos a regulamentação do Fórum de Saúde Militar da CPLP e a elaboração de um documento de orientação estratégica da área sanitária. .

No fim dos trabalhos, os participantes no Fórum concordaram apresentar propostas e recomendações seguintes as entidades competentes da Comunidade: Remeter os resultados do encontro para a apreciação e homologação dos Chefes de Estado Maior General das Forças Armadas e Ministros da Defesa; Remeter para adopção como documento de trabalho para o período 2016 – 2017, as propostas de Regimento Interno do Fórum de Saúde Militar da CPLP (FSM/CPLP) e da Estratégia da Saúde Militar; Implementação do Centro Conjunto de Medicina Operativa das Forças Armadas, proposta apresentada pela delegação do Brasil. Esta última que se encontra em fase de desenvolvimento, visa dotar o Brasil de um centro de emprego dual, para capacitação e treinamento conjunto/interagências de profissionais de saúde para atendimento pré-hospitalar (APH) de feridos em combate ou vítimas de desastres naturais ou antroponímicos com múltiplas vítimas. 

Foram acolhidas com satisfação as propostas de formação apresentadas pelo Brasil e por Portugal, no âmbito do intercâmbio de formação dos militares no domínio da saúde. Foi igualmente apresentado pelo Coronel António Biagué, o interesse de Serviço de Saúde Militar da Guiné-Bissau receber formação no Brasil e em Portugal. Solicitou aos dois países Portugal e Brasil apoio na formação dos quadros militares guineenses a nível de especialização nas especialidades de médicas e cirúrgicas. 

Maj. Ussumane Conaté.

Farp. 25 de Março 2016